O Redentor

Jesus ocupa o pedestal ímpar do “Cristo Redentor”. Ele reivindica não a máxima autoridade, mas toda autoridade.

“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar.” (Mateus 11:27).

Não passe depressa por estas palavras. Ou elas são a gota final ou a verdade final. Elas merecem reflexão deliberada.

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai.”

Cristo reivindica poder absoluto. Supremacia não compartilhada. Ele conduz o navio e pilota o avião. Quando ele vira seus olhos, oceanos enchem. Quando ele pigarreia os pássaros migram. Ele bane bactéria com apenas um pensamento.

Ele sustenta “todas as coisas por sua palavra poderosa.” (Hebreus 1:3)

Ele é para a história o que um tecelão é para uma tapeçaria. Uma vez eu observei um tecelão trabalhando num mercado no centro de San Antonio. Ele selecionou fios da sua bolsa e os organizou primeiro na moldura e depois na lançadeira. Depois ele trabalhou a lançadeira para frente e para trás sobre os fios, entrelaçando cores, sobrepondo texturas. Numa questão de momentos um desenho apareceu.

Cristo, na mesma maneira, tece a Sua história. Cada pessoa é um fio, cada momento uma cor, cada era um passo da lançadeira. Jesus firmemente entrelaça o bordado da humanidade.

Jesus afirma ser, não o teólogo top, o mais realizado teólogo, ou até o Supremo Teólogo, mas o Único Teólogo.

“Ninguém conhece o Pai a não ser o Filho.” (Mateus 11:27). Ele não diz “Ninguém conhece o Pai como o Filho” ou “na maneira do Filho”. Mas, “Ninguém conhece o Pai a não ser o Filho.”

A porta do céu tem uma chave, e Jesus a segura.

“Ele as ensinava como quem tem autoridade” (Mateus 7:29). Jesus conhece as dimensões da sala do trono de Deus, da fragrância do incenso, os hinos favoritos do coro eterno. Ele tem um única, ímpar conhecimento sem igual de Deus e Ele quer compartilhar este conhecimento com você. “Ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar.” (Mateus 11:27).

Jesus não se vangloria do conhecimento dEle; Ele compartilha. Ele não se gaba; Ele dá. Ele não se orgulha; Ele revela. Ele revela para nós os segredos da eternidade. Ele os compartilha, não só com os de alto patente, ou de raça pura, mas com os famintos e necessitados. Na próxima frase Jesus convida:

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.” (Mateus 11:28-29).

Faça-se um favor. Procure o marcador mais brilhante e a tinta mais forte produzida. Grife, sublinhe, e aceite o convite dEle: “Aprendam de mim…”

Ele diz aprenda de Mim como lidar com seu dinheiro, Segundas-feiras longas, e sogros mal humorados. Aprenda de Mim porque pessoas brigam, a morte vem, e o perdão conta. Mas, acima de tudo, aprenda de Mim porque você está aqui na terra.

Não é que precisamos aprender? Só há uma maneira de saber. Faça o que eu fiz no Rio. Procure Ele. Levante seus olhos e mire em Jesus. Nada de olhares passageiros ou vista rápida. Matricule-se na escola dEle. “Aprenda de Mim…” Faça dele sua estrela guia, seu ponto de referência. Procure nas ruas movimentadas e entre os telhados jogando suas sombras, até que você enxergue o rosto dEle. Daí, fixe seus olhos nEle.

Você encontrará mais que um hospital.
Você encontrará o Único e Unigênito.

Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Rio and Redemption”

© Max Lucado, 2014
de 3:16 The Numbers of Hope
Thomas Nelson publishing, 2014

, , , , , , ,