Um Fardo Pesado Demais

Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Efésios 4:31

Oh, o aperto gradual do ódio. Seu estrago começa como a rachadura em meu pára-brisa. Graças a um caminhão em alta velocidade numa estrada de cascalho, meu vidro foi trincado. Com o tempo. o trinco tornou-se uma rachadura, e a rachadura, um tributário sinuoso… Eu não podia guiar meu carro sem pensar no ignorante que dirigia rápido demais. Embora nunca o tivesse visto, podia descrevê-lo. Ele era algum malandro vagabundo, que enganava a esposa, dirigia com seis latas de cerveja no banco e deixava a televisão tão alta, que os vizinhos não podiam dormir…

Já ouviu a expressão “cego de raiva”?

Deixe-me ser bem claro. O ódio azedará a sua perspectiva e quebrará as suas costas. O fardo da amargura é simplesmente pesado demais. Seus joelhos se dobrarão sob a carga e o seu coração se romperá embaixo do peso. A montanha à sua frente já é bastante íngreme sem a opressão do ódio em suas costas. A escolha mais sábia — a única escolha — é você abandonar a ira. Você nunca sera solicitado a dar a alguém mais graça do que Deus já deu a você.


de “Nas Garras da Graça” Copyright © 2007 Max Lucado e CPAD. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
REFLEXÕES SEMANAIS
Receba Devocionais Diários de Max no seu inbox